Indicadores qualitativos para avaliação de bibliotecas escolares: subsídios para o desenvolvimento de novas políticas públicas educacionais e informacionais

Palavras-chave: Bibliotecas escolares.Instrumentos de avaliação. Indicadores qualitativos

Resumo

O estudo apresenta uma reflexão sobre a utilização de indicadores qualitativos para avaliação das bibliotecas escolares com o intuito de possibilitar o embasamento de futuras políticas públicas no setor. O método de pesquisa é do tipo exploratório, de abordagem qualitativa, desenvolvido por meio de pesquisa bibliográfica e elaborado através de revisão de literatura. Os resultados destacam possíveis indicadores qualitativos que podem ser utilizados para a avaliação das bibliotecas escolares. Conclui-se que a utilização de tais indicadores pode ser um avanço para a prestação de serviços e desenvolvimento de produtos em bibliotecas escolares, assim como para subsidiar o desenvolvimento de políticas públicas capazes de abranger todas as especificidades deste tipo de biblioteca.

Biografia do Autor

Niliane Cunha de Aguiar, Universidade Federal de Sergipe
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE.
Daniele Ribeiro Dantas
GRADUADA EM SERVIÇO SOCIAL. ESPECIALISTA EM TRABALHO SOCIAL COM FAMÍLIAS E COMUNIDADES.

Referências

AGUIAR, M. J.; ANDER-EGG, E. Avaliação de serviços e programas sociais. Petrópolis, RJ: Vozes, 1994.

ALVES, M. A origem dos indicadores na gestão pública. 2017. Disponível em: https://www.comissaodaverdade.pe.gov.br/uploads/r/arquivo-publico-estadual-jordao-emerenciano/5/0/3/5035b2566af0d0cf0f8c80ad62a66da96c7ef61c26a0bd00ea020f7657ff982b/b58d3caa-119e-4225-9d2f-7019b42d0ec3-ECF07_Importancia_dos_Indicadores.pdf. Acesso em: 27 ago. 2019.

ALVES, T. Avaliação na administração pública: uma proposta de análise para as escolas públicas de educação básica. Dissertação (Programa de pós-graduação em Administração de Organizações. Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade), Ribeirão Preto – USP, 2007. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/96/96132/tde-23072007-102313/publico/ThiagoAlves.pdf. Acesso em: 23 ago. 2019.

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION. Public Library Association. Minimum standards for public library systems: Chicago, 1967.

AMERICAN LIBRARY ASSOCIATION - ALA. Information literacy competency standards for higher education. Chicago: ACRL/ALA, 2000. Disponível em: https://alair.ala.org/bitstream/handle/11213/7668/ACRL%20Information%20Literacy%20Competency%20Standards%20for%20Higher%20Education.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 27 ago. 2019.

BELLONI, I.; MAGALHÃES, H.; SOUSA, L. C. Metodologia para avaliação de políticas públicas: uma experiência em educação profissional. São Paulo: Cortez, 2001.

BONDIOLI, Anna (Org.). O projeto pedagógico da creche e a sua avaliação: a qualidade negociada. Campinas: Autores Associados, 2004.

BONNEFOY, C.; ARMIJO, M. Indicadores de desempeño en el sector público. Santiago do Chile: Instituto Latinoamericano y del Caribe de Planificación Económica y Social – ILPES, 2005.

BRASIL. Ministério da Educação. Lei n. 12.244 de 24 de maio de 2010. Dispõe sobre a universalização das bibliotecas nas instituições de ensino do País. Brasília: Congresso Nacional, 2010. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2010/Lei/L12244.htm. Acesso em: 12 nov. 2011.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Projeto de lei n.9484, de 2018. Altera a Lei nº 12.244, de 24 de maio de 2010, que dispõe sobre a universalização das bibliotecas escolares nas instituições de ensino do País, para dispor sobre uma nova definição de biblioteca escolar e cria o Sistema Nacional de Bibliotecas Escolares (SNBE). Brasília, 2018. Disponível em: https://www.camara.leg.br/proposicoesWeb/prop_mostrarintegra;jsessionid=8BAEBD8A672AFB0E045D4946F969EB44.proposicoesWebExterno1?codteor=1641422&filename=Avulso+-PL+9484/2018. Acesso em: 27 ago. 2019.

CAMPELLO, B. S. (Coord). Biblioteca escolar como espaço de produção do conhecimento: parâmetros para bibliotecas escolares. Belo Horizonte: UFMG/ECI/GEBE; Autêntica. 2010. Disponível em: http://www.cfb.org.br/wp-content/uploads/2016/05/Cartilha-biblioteca-escolar.pdf. Acesso em: 10 maio 2019.

CARLEY, M. Indicadores sociais: teoria e prática. Rio de Janeiro: Zahar, 1985.

CARREIRA, D. (Coord.). O uso dos Indicadores da Qualidade na Educação na construção e revisão participativas de Planos de Educação / Ação Educativa. São Paulo: Ação Educativa, 2013, 32 p. Disponível em: http://www.deolhonosplanos.org.br/wpcontent/uploads/2013/04/Uso_Indiq_Planos.pdf. Acesso em: 21 jan. 2018.

COHEN, E.; FRANCO, R. Avaliação de projetos sociais. Petrópolis: Vozes, 2004.

COLETTA, T.G.; ROZENFELD, H. Indicadores de desempenho para bibliotecas universitárias: definições e aplicações sob o ponto de vista da literatura. Perspectivas em Ciência da Informação, v.12, n. 3, p.129-141, set./dez.2007. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/pci/v12n3/a10v12n3.pdf. Acesso em: 21 jan. 2018.

EVANS, E. et al. Review of criteria used to measure library effectiveness. Bulletin of the Medical Library Association, v. 60, n. 1, p.102-10, jan. 1972. Disponível em: https://europepmc.org/backend/ptpmcrender.fcgi?accid=PMC198632&blobtype=pdf. Acesso em: 28 ago. 2019.

FERREIRA, H.; CASSIOLATO, M.; GONZALEZ, R. Uma experiência de desenvolvimento metodológico para avaliação de programas: o modelo lógico do programa segundo tempo. Texto para discussão. Rio de Janeiro: IPEA, 2009. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/handle/123456789/136. Acesso em: 26 ago. 2019.

GATTI, B. A. Estudos quantitativos em educação. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.30, n.1, p. 11-30, jan./abr. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v30n1/a02v30n1.pdf. Acesso em: 21 ago. 2018.

GIL, A. L. Qualidade total nas organizações: indicadores de qualidade, gestão de qualidade. São Paulo: Atlas, 1992.

GOMES, A. R. Avaliação de políticas públicas por meio de indicadores de desempenho do PPA 2004-2007: reflexão da eficiência, eficácia e efetividade do Programa Brasil escolarizado no ano de 2004. Brasília – DF: ULB, 2008, Universidade do Legislativo Brasileiro. (Especialização) em Ciência Política. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/item/id/161032. Acesso em: 15 jan. 2019.

INTERNATIONAL ORGANIZATION FOR STANDADIZATION. ISO 11620: Information and documentation – library performance indicators. Genève, 1998. 56p

JANNUZZI, P. M. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público Brasília, v. 56, n. 2, p.137-160, abr./jun. 2005. Disponível em: https://static.fecam.net.br/uploads/28/arquivos/4054_JANUZZI_P_Construcao_Indicadores_Sociais.pdf. Acesso em: 01 ago. 2019.

JANNUZZI, P. M. Indicadores sociais no Brasil: conceitos, fonte de dados e aplicações. Campinas: Alínea, 2001.

JANNUZZI, P. M. Indicadores sociais na formulação e avaliação de políticas públicas. 2012. Disponível em: https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2012.pdf. Acesso em: 11 jul. 2019.

LANCASTER, F. W. Avaliação de serviços de bibliotecas. Brasília: Briquet de Lemos, 1980.

MINAYO, M. C. Z. Construção de indicadores qualitativos para avaliação de mudanças. Revista Brasileira de Educação Médica, v. 33, n.1, p. 83-91, 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rbem/v33s1/a09v33s1. Acesso em: 20 jan. 2019.

PENTEADO FILHO, R. C. et al. Aplicação da bibliometria na construção de indicadores sobre a produção científica da EMBRAPA. In: WORKSHOP BRASILEIRO DE INTELIGÊNCIA COMPETITIVA E GESTÃO DO CONHECIMENTO, 3., 2002, São Paulo. Anais [...] São Paulo, 2002. Disponível em: https://www.cin.ufpe.br/~ajhol/futuro/references/04%23_EMBRAPA_aplicacao_bibliometria.pdf. Acesso em: 10 nov. 2015.

RODRIGUEZ; RODRIGUEZ, M. V. Gestão do conhecimento: reinventando a empresa para uma sociedade baseada em valores intangíveis. Rio de Janeiro: IBPI Press, 2001.

ROZADOS, B. F.H. Uso de indicadores na gestão de recursos de informação. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 3, n. 1, p. 60-76, jul./dez. 2005. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/rdbci/article/view/2054/2184. Acesso em: 12 jul. 2019.

SANTOS, L. A.; CARDOSO, R. L. S. Avaliação de desempenho da ação governamental no Brasil: problemas e perspectivas. Concurso de ensayos del clad: contol y evaluación del desempeño gubernamental, 15, Caracas, 2001. Disponível em: http://siare.clad.org/fulltext/0041201.pdf. Acesso em: 10 nov. 2015.

SANTOS, R. N. M.; KOBASHI, N. Y. Aspectos metodológicos da produção de indicadores em ciência e tecnologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 4, 2005, Salvador. Anais[...] Salvador: Ufba, 2005. Disponível em: http://www.cinform-anteriores.ufba.br/vi_anais/docs/RaimundoNonatoSantos.pdf. Acesso em: 15 ago. 2019.

TORRES, M. D. F. Estado, democracia e administração pública no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2004.

TRZESNIAK, P. Indicadores quantitativos: reflexões que antecedem seu estabelecimento. Ciência da Informação, v. 27, n. 2, out. 1998. Disponível em: http://revista.ibict.br/ciinf/article/view/797/725. Acesso em: 27 ago. 2019.

VAN BELLEN, H. M. Indicadores de sustentabilidade: um levantamento dos principais sistemas de avaliação. Cadernos EBAPEBR (FGV), v. 2, n. 1, p. 1-14, mar. 2004. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-39512004000100002. Acesso em: 10 fev. 2019.

VERGUEIRO, W. C. S.; CARVALHO, T. Definição de indicadores de qualidade: a visão dos administradores e clientes de bibliotecas universitárias. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 6, n. 1, p. 27-40, 2001. Disponível em: http://portaldeperiodicos.eci.ufmg.br/index.php/pci/article/view/435. Acesso em: 21 jan. 2018.

WHITEHALL, T. Quality in library and information service: a review. Library Management, v. 13, n. 5, p. 23-35, 1992.

Publicado
2020-01-28