O papel do Arquivista na defesa dos direitos humanos: em busca de elementos da Competência em Informação.

Palavras-chave: Arquivista. Arquivologia. Competência em Informação. Dimensões da Competência em Informação.

Resumo

Objetiva apresentar elementos que delimitem o papel do arquivista na promoção da cidadania e na garantia de defesa dos Direitos Humanos, tendo como base a abordagem da Competência em Informação. A pesquisa compreende uma análise comparativa entre a teoria de Vitorino (2011) que evidencia as dimensões da Competência da Informação: Técnica, Estética, Ética e Política e o documento do Conselho Internacional de Arquivos “Princípios básicos sobre o papel dos arquivistas na defesa dos direitos humanos”. Os princípios apresentados fornecem diretrizes para os arquivistas lidarem em seu cotidiano com a informação, promovendo inclusive cursos de capacitação para os usuários de Arquivo, sobre como lidar com a informação de forma crítica e competente. Além dos arquivistas, o documento fornece elementos que proporcionam que grupos de profissionais possam disseminar conhecimento acerca do acesso às informações, bem como oferecer por meio de oficinas, instruções sobre o uso da informação, destacando assim ações presentes nos preceitos da Competência em informação que precisam ser divulgadas de forma ampla e melhor delimitadas nos cursos de graduação e nas possibilidades de formação continuada dos arquivistas.

Biografia do Autor

Renata Lira Furtado, Universidade Federal do Pará - UFPA
Doutora em Ciência da Informação pela Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho, Mestre em Ciência da Informação e Bacharel em Arquivologia pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Docente no curso de graduação em Arquivologia e no Programa de Pós Graduação em Ciência da Informação na Universidade Federal do Pará. Líder do Grupo de Pesquisa Arquivologia e Competência em Informação, integrante do Grupo de Estudos Críticos sobre Ciência da Informação e Tecnologia, atuando principalmente nos temas: Arquivologia,  Competência em informação, Comportamento informacional, Fenômenos informacionais na Arquivologia, Gestão Documental, Gestão da Informação e do Conhecimento.
Victor Martins da Silva, Universidade Federal do Pará - UFPA
Bacharel em Arquivologia pela Universidade Federal do Pará - UFPA

Referências

BRASIL. Lei 12.527, de 18 de novembro de 2011 – Lei de Acesso à Informação. [2011]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm Acesso em: 26 mar. 2015.

FURTADO, R. L.; BELLUZZO, R. C. B.; PAZIN, M. C. C. A Competência em Informação na Formação em Arquivologia. In: ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO, 18., 2017. Anais eletrônicos[...] Marília: UNESP, 2017. Disponível em: http://enancib.marilia.unesp.br/index.php/xviiienancib/ENANCIB/paper/view/355Acesso em: 30 abr. 2018

HORTON JUNIOR, F. W. Understanding information literacy: a primer. Paris: UNESCO, 2007.

INTERNACIONAL COUNCIL ON ARCHIVES. Basic Principles on the role of Archivists and Records Managers in support of Human Rights. 2016. Disponível em: https://www.ica.org/en/basic-principles-role-archivists-and-records-managers-support-human-rights. Acesso em: 10 set. 2018.

VITORINO, E. V.; PIANTOLA, D. Dimensões da competência informacional. Ciência da Informação, v. 40, n. 1, 2011.

ZURKOWSKI, P. G. The Information Service Environment Relationships and Priorities. Related Paper No. 5. 1974.

Publicado
2020-01-28